Papel não é lixo! Recicle!

Celulose, papel e biodiversidade

As florestas são uma parte extremamente importante do meio ambiente. Florestas sustentáveis e bem manejadas oferecem múltiplos benefícios à sociedade, tais como meios de subsistência, serviços ecossistêmicos e biodiversidade, ao mesmo tempo em que ajudam a combater as mudanças climáticas.

O cultivo de árvores para celulose e papel, como é feito no Brasil, protege as florestas nativas contra a extração predatória. As empresas do setor são responsáveis pela preservação de extensas áreas de florestas nativas e, dessa maneira, contribuem também para a proteção da biodiversidade nesses biomas. Segundo dados da associação “Indústria Brasileira de Árvores – Ibá”, as indústrias de base florestal cultivam árvores para uso comercial em 9,5 milhões de hectares ao mesmo tempo em que conservam outros 6 milhões de biomas nativos.

A maioria da população mundial tem algum tipo de interação importante com as florestas e sua biodiversidade. Mas mesmo as pessoas que não têm contato direto com elas são impactadas positivamente pelos benefícios das florestas, entre eles a sua biodiversidade, o seu papel nos combate às mudanças climáticas, a sua contribuição para manter a disponibilidade de água e nutrientes para o solo, entre outros. Desse modo, manter as florestas é fundamental para o bem-estar de toda a população.

As florestas fornecem globalmente mais de 86 milhões de empregos verdes e apoiam os meios de subsistência de muito mais pessoas. São vitais para a conservação da biodiversidade, do fornecimento de energia e da proteção do solo e da água.

FAO, The State of the World’s Forests, 2020

No Brasil, as indústrias de base florestal geraram mais de 2 milhões de empregos, diretos e indiretos, em 2020.

Relatório Anual Ibá 2021

Os ecossistemas florestais e montanhosos servem como áreas de origem para mais de 75% de abastecimento de água renovável, fornecendo água para mais da metade da população mundial.

FAO, The State of the World’s Forests, 2020

A grande maioria da biodiversidade terrestre é encontrada nas florestas nativas. Juntas, as florestas mundiais abrigam mais de 60.000 espécies de árvores diferentes e fornecem habitats para 80% das espécies anfíbias, 75% das espécies de aves e 68% das espécies de mamíferos.

FAO, The State of the World’s Forests, 2020

Para a produção de celulose e papel não se substituem florestas nativas por florestas plantadas. As áreas utilizadas para cultivo de árvores para celulose no Brasil são aquelas já destinadas ao uso comercial. Portanto, essa atividade agroindustrial não representa risco à biodiversidade. Pelo contrário, o setor dá uma contribuição relevante em favor da sua preservação.

As áreas de responsabilidade das indústrias de base florestal, incluindo árvores plantadas e florestas nativas preservadas e/ou recuperadas, representam menos de 2% do território nacional. Ainda assim, essa pequena extensão possui índices elevados de biodiversidade a ser preservada.

O setor de celulose e papel brasileiro trabalha com o plantio em mosaico, integrando vegetação natural e plantios comerciais. Segundo a Ibá, nas áreas sob responsabilidade de suas empresas associadas foram encontradas mais de 8.000 espécies de fauna e flora. Das espécies brasileiras ameaçadas de extinção, 38% dos mamíferos e 48% das aves são encontradas nessas áreas. (1) Isso se deve, principalmente, à conservação de ecossistemas naturais, à criação de corredores ecológicos que favorecem a conectividade áreas de preservação e à redução do efeito de borda, bem como às boas práticas de manejo e colheita florestal. Tais números mostram que as áreas de conservação, associadas à exploração econômica de árvores plantadas, têm se tornado refúgio para a biodiversidade brasileira.

Existem várias certificações de terceira parte para garantir que as florestas sejam gerenciadas de forma sustentável. As duas mais reconhecidas são o Forest Stewardship Council® (FSC®) e o Programme for Endorsement of Forest Certification™ (PEFC™).

Tanto FSC® quanto PEFC™ têm objetivos semelhantes: a certificação de produtos florestais e do manejo florestal segundo padrões confiáveis e verificados por auditorias, de forma independente. Na certificação são levados em consideração o manejo responsável, a conservação dos habitats naturais de plantas e animais e o respeito aos direitos dos trabalhadores e das comunidades locais. Ambos rastreiam a madeira e a fibra de madeira em cada etapa da cadeia de custódia, desde a plantação de árvores até o usuário final.

O Brasil ocupa o 6º lugar no ranking total do sistema FSC. (2) Todos os produtores de celulose e papel que são membros de Two Sides Brasil têm certificações FSC, PEFC ou ambas.

 

  1. Caderno da Biodiversidade do Setor de Árvores Cultivadas, Ibá 2022
  2. FSC, Fatos e números

 

Próximo fato

Descubra mais

Baixe o Fact Sheet para descobrir mais fatos sobre o papel e o meio ambiente.

Download